Aside

É engraçado como a gente acha que aquele momento ruim nunca vai passar, que as coisas nunca vão mudar, mas continua vivendo, para de pensar em certas coisas e só vive, e de repente tudo mudou. De repente é vc do outro lado da moeda. Não que eu vá rir do outro, pq não é esse o ponto. O ponto é ver que a coisa mais definitiva nem é tão definitiva assim, e que quando você vive a vida acontece, e quando a vida acontece é lindo. 

Aside

Lembro de ter pegado Cem anos de solidão na prateleira da biblioteca por tê-lo visto numa lista dos 10 mais da veja. Foi no começo da de 00, não lembro bem o ano. Talvez 2002, 2003. Lembro de ter começado a ler o livro mesmo sabendo que não deveria por causa da quantidade de coisas que deveria estudar para o PAS. Lembro de começar a ler, de achar lindo, de ficar pasma em como o Gabriel García Márquez escrevia manipulando tempo e espaço e ainda assim eu não me perdia. Dos diversos personagens com o mesmo nome mas com personalidades tão diferentes, ou parecidas, mas cada um sendo cada um e eu sendo capaz de não confundi-los. Lembro de ler em êxtase a cada página. De ficar feliz por chegar ao fim e triste. De ter visto Macondo. De ter conhecido cada um dos Buendía. Lembro de ter amado Gabriel García Márquez por causa de Cem anos de solidão. De ter ficado feliz por fazer faculdade de Letras Espanhol e poder reler Cem anos em espanhol. Lembro também de ter lido os outros livros. O amor nos tempos do cólera, Vivir para contarla, os contos, Cómo se cuenta un cuento. Lembro de ter identificado Gabo em cada um deles. De ficar sonhando que um dia eu o conheceria, antes que ele se fosse, que eu pudesse abraçá-lo e agradecer por seus livros. Por ter criado um mundo no qual eu me sentia bem. Por ter criado pessoas com as quais eu me identificava. Por ter sido tão maravilhoso. E hoje, hoje eu choro. Choro por não tê-lo conhecido, por saber que ele não criará nada novo, por saber que ele não existe mais. Existia um calorzinho no meu coração por saber que ele existia em algum lugar do mundo, ainda que fosse longe de mim, ainda que eu não soubesse como e não acompanhasse. Esse calorzinho se foi. Agora fica um vazio. Uma pontada. Uma dor. Uma dor que nunca imaginei sentir.

E nada do que está escrito aqui faz muito sentido pq nunca soube escrever chorando. Mas precisava tentar. Precisava desabafar. Precisava chorar por escrito pra ver se consigo parar de chorar.

Se Deus existe, se céu existe, espero que o Gabo esteja agora em paz, feliz. E espero que a família dele e os amigos possam ser confortados. 

Aside

Poucas vezes na vida eu chorei de rir. Sabe quando você ri tanto que saem lágrimas e você sofre pra controlá-las? Pior, estou eu no trabalho. Tive que ligar o ventilador e respirar muito. O pior é que acho que já até vi o vídeo, mas devo ter esquecido. Enfim, lembrei do meu sobrinho, lembrei de Belle and Sebastian, pq né? Se tem alguém que sabe o que é ser fã doida sou eu. Fora que, aniversário do Tio Silvio hoje. Parabéns, tio Silvio. Obrigada por existir.

Aside

Às vezes olho pra alguma coisa do presente e sorrio, vejo como minha vida é boa, como sou feliz, e como consegui me livrar do que me fazia mal e eu achava que fazia bem. É como a música da Florence: 

“It’s hard to dance with a devil on your back
So shake him off, oh woah”
 
A gente tem um demônio nas costas e nem se dá conta, só se dá conta quando ele some e vem o alívio. E que alívio. 
 
Lembrei disso pq estava pensando em como 2013 tem sido um ano bom. Assim, na soma de tudo, pq no final, não acredito em anos inteiramente bons ou ruins, sempre tem dias bons e ruins, ou horas boas e ruins, as coisas mudam muito e muito rápido, a vida é bipolar. Mas na soma, existiram mais dias bons, barzinho com amigos, ficar sozinha em casa vendo série, viajar sozinha pela primeira vez na vida, cinema com amigos, aniversário com amigos, jantar com amigos, visitar a família, shopping com a família, tantas lembranças boas. E cá estou em pleno setembro refletindo sobre um ano inteiro que nem acabou. Tenho ainda uns três objetivos para esse ano e acho que vou conseguir. E aí faço uma retrospectiva mais digna. 
 
E isso tudo pq tive um final de semana especial com pessoas especiais. 

Vacaciones

Aside

Estou há semanas ansiando pelo dia 05/07, começo oficial das minhas primeiras férias aqui no trabalho (ok, tive férias em janeiro, mas não foram remuneradas, logo, não é a mesma coisa). Mesmo sabendo que dia 05/07 tem reunião a manhã todinha e que eu não devo faltar pois o tema é importantíssimo. Ainda assim, a imagem do dia 05/07 era de: féeeerias. Até que me dei conta de que terei 20 dias de férias, sendo que desses 20, uns 5 passarei em congresso. Ok, congresso no litoral, mesmo assim, congresso. E me dei conta de que serão sei lá, umas duas semanas? Enfim, o importante é que vou poder respirar, desestressar da sala de aula, ter saudades da sala de aula pra voltar com a corda toda, estudar, comer, viajar, beber, dançar, dormir, ler, ver séries, enfim, viver sem o stress de cumprir horário. Ok, duas semanas pra isso tudo, não me segura universo porque preciso aproveitar!!!!!!!!Imagem  

Aside

Só tenho uma coisa a dizer: não sei como um ser humano pode ser tão baixo. E mais uma: NUNCA mais na minha vida, nem sob tortura, quero ver. Nem falar, nem passar perto, nem saber que existe. Maior decepção da minha vida. MAIOR. E espero que receba tudo de volta e se brincar numa proporção maior.