Standard

Sabe o que eu mais gosto em mim? Minha auto-proteção. Ok, ela me fode muitas vezes, me faz ter medo de coisas bobas, me faz fugir, me isolar, mas ela me salva de mim tantas vezes. Acaba que uma hora eu descubro que sou mais importante e me jogo numa bolha, e o que antes me atingia não me atinge mais, até o dia em que deixa de importar. Como já fiz isso. No começo é estranho e parece que não vai dar em nada, mas aí a vida acontece, nem lembro mais, e quando vou ver: passou.

“Next time I’ll be braver
I’ll be my own savior
When the thunder calls for me
Next time I’ll be braver
I’ll be my own savior
Standing on my own two feet
I won’t let you close enough to hurt me, no
I won’t ask you, you to just desert me
I cant give you, what you think you gave me
It’s time to say goodbye to turning tables
To turning tables
Turning tables, yeah
Turning oh”

Sempre fui minha própria salvadora, sempre.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s