Writing about love

Standard

Just looking through the window and listening to a good song.

Sempre que fico de TPM fico mais sensível, consequentemente mais romantiquinha e besta. Impressionante, toda vez. Hoje em casa decidi renovar as músicas do meu pen drive, ai vi uma pasta do Zoey Van Goey e decidi por pq sabia que gostava. Comecei a ouvir o cd, aquela sensação boa, até que começou a tocar “You told the drunks I knew karate” e eu: -ooouuuunnnnn! Não lembrava mais da música nem da letra, mas sabe a música certa no momento certo? Várias coisas me fazem pensar isso. Primeiro teve uma conversa no Mc Donalds, o heb contando pra gente como era “Drop Dead Diva” justo sobre a parte: “não preciso ficar com alguém que eu não goste tanto só pra não ficar só”, e ai teve tb essa semana que terminei de ver a segunda temporada de Skins, e como eu amava aquele elenco lindo, aqueles problemáticos, fucked up, loucos e fofos! E ainda ouvir Evil e lembrar de certa noite em um certo pub com uma pessoa muito errada mas muito certa. Enfim, nada disso faz sentido fora da minha cabeça, mas pra tentar explicar diz se isso não é lindo: “I do the dumbest thing for you, Why do I do the dumbest thing for you? I almost broke my collarbone; I didn’t care you were the most exciting thing I ever known” E é isso, eu vejo Skins e eu realmente acho que prova de amor é “do the dumbest thing”. Tô nessa vibe errada.

Ah, e como faz tempo que não posto uma música do dia, hoje fica a indicação: Zoey Van Goey – You told the drunks I knew karate.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s